Home Compreendendo as doenças Sinusite em crianças

Equipe

 

Dra. Daniella Rossi
Dra. Débora Braga Estevão
Dra. Fabiana Rocha Ferraz

 


Conheça aqui toda
a nossa Equipe

Pessoas no Site

Nós temos 9 visitantes online
Sinusite em crianças PDF Imprimir E-mail

A sinusite é uma doença muito comum em crianças. Ela é uma infecção por bactérias dos seios da face, em latim, sinus.

Geralmente, os quadros de sinusite ocorrem por complicações de resfriados ou crises alérgicas, em decorrência de obstrução nasal e do grande acúmulo de secreções. Essas secreções depositam-se nas cavidades que normalmente são cheias de ar, facilitando o crescimento de bactérias causadoras da infecção.


Seios da Face

Os seios da face ou “sinus” são cavidades ocas, cheias de ar, existentes nos ossos do rosto. Sua função é a de reduzir o peso destes ossos e, portanto, da face. Normalmente eles aparecem em quatro pares, maxilar, frontal, etmoidal e esfenoidal.

Apenas os seios maxilares e os etmoidais estão presentes ao nascimento. Entretanto, nesta fase da vida eles ainda não estão completamente formados e continuam a desenvolver-se até a adolescência.

Os seios esfenoidais iniciam o seu desenvolvimento somente aos dois anos de idade e os frontais aos seis anos.


Sintomas

Os sintomas mais comuns da sinusite são tosse, nariz entupido com produção de catarro amarelado e, eventualmente, febre e dor de cabeça. Muitas vezes a tosse, principalmente ao acordar pela manhã, é o único sintoma da doença.

Repare que estes sintomas podem ser facilmente confundidos com um resfriado comum ou até mesmo com a rinite alérgica. A diferença está no tempo de permanência dos sintomas. Nos resfriados comuns, eles não ultrapassam sete dias, o que não acontece com a sinusite. Já na rinite alérgica, a congestão nasal vem acompanhada de coriza, espirros e coceira no nariz.

Os exames complementares, como a radiografia de seios paranasais, não são fundamentais para o diagnóstico das sinusites, sendo reservados para alguns casos especiais. Seu médico otorrinolaringologista é a pessoa mais indicada para realizar exame detalhado e diferenciar tais possibilidades. Ele pode fazer um diagnóstico seguro e preciso e indicar o tratamento mais adequado para a criança.

Evite o uso de medicamentos por conta própria ou sugeridos por outras pessoas. Este procedimento pode levar a complicações de um problema inicialmente simples de ser resolvido e lhe trazer muita dor de cabeça no futuro.